segunda-feira, 17 de junho de 2013

Lembrou-o...


lembrou-o,
naquela tarde,
como à ferida quente
caída sobre o peito
onde a vida corria
sem engano.

esboçou uma linha,
simples tentativa interrompida,
pois contínua
só a mentira
mordida no bago
escorrendo
a ilusão de não ter idade.

lembrou-o
naquele pensamento
onde o amor se disfarçava
de memória.

2 comentários:

Dete disse...

Que bom vê-lo de volta. Estava com saudades das suas lindas poesias.

© Piedade Araújo Sol disse...

lembrou-o
naquela tarde
e em muitas outras que ainda estão para vir....


:)