sexta-feira, 17 de dezembro de 2010

Em queda


Prendemo-nos ao que nos prende,
seguramo-nos e somos levados
por um fio ténue…
uma voz imperceptível…
um sopro de magia…
uma vontade inquebrável…
como um balão de sonhos insuflado,
como uma corrente no lodo dragada,
suspensos
até que nos desprendam
e desapareçam os nós
que não existiram
e flutuamos
em queda
sem adivinhar a recepção,
sem escolher a aterragem,
sem saber se sobreviveremos...

1 comentário:

Malu disse...

Vim para deixar um FELIZ NATAL e um grande ANO NOVO a ti e a todos aqueles que teu coração abriga.
BOAS FESTAS!!!!