quinta-feira, 16 de setembro de 2010

Círculo


Ignorando-te,
não me incomoda o teu esquecimento;
Esquecendo-te
não me dói a tua impermanência;
Lembrando-te,
consumo-me na saudade de ti;
Amando-te,
lembro-te que a saudade não me deixa ignorar-te
e esqueço-me que seria melhor não permanecer, nesta inquietude de amar-te!

1 comentário:

NunoG disse...

agradavelmente surpreendido com a tua magnífica poesia... PARABÉNS!