quinta-feira, 9 de setembro de 2010

Voo cego



Corro para um ninho
com desejo alado,
poeira de ansiedade
pousando em cegueira,
antecipando o que as mãos
não ousarão tocar
e os olhos recusam ver,
para não apagar
o deslumbre de ser meu,
esse ninho pra onde voo
sem olhar...



[palavras resposta inspiradas no poema "
Degraus", de Paula Raposo]


2 comentários:

© Piedade Araújo Sol disse...

bonita inspiração.

gostei muito.

um beij

Paula Raposo disse...

Agradavelmente surpreendida!! Eu não sabia que tinhas um blog...beijos.