quinta-feira, 22 de julho de 2010

Desejo em jeito de telegrama


Não antecipes a chegada ao destino de que não podemos fugir.
Não precipites a vida que te pertence.
Sê livre! Depende de ti!

2 comentários:

Maria disse...

Será?
E quem não acredita no destino?
E quem disse que a vida nos pertence?

Maria disse...

Quando a morte é um dos destinos possíveis queremos antecipar os acontecimentos para os quais tememos não vir a ter tempo.

Apenas os suicidas são donos da sua vida no momento em que lhe põem termo.

Não conseguimos a liberdade justamente por ela depender de nós. Ser livre, em cada momento da nossa vida, tem um significado diferente. Quando a opção se altera já estamos aprisionados à opção anterior.

Hoje nem todos podemos fazer nosso o seu desejo.