sábado, 10 de abril de 2010

Inquietudes


Inquieta-me
a indomabilidade do mar,
a imprevisibilidade do fogo,
a indefinição do nevoeiro,
a imensurabilidade do fumo.


Inquieta-me
a impalpabilidade da melancolia,
a insustentabilidade da mentira,
a finitude da Primavera;
a inexplicabilidade do sentir.


Constrangem-me
os paralelismos com o amor!

3 comentários:

Tia_Cunhada disse...

Quase um tratado filosófico... bom para reflectir...

Bj num dia lindo

elsafer disse...

as duvidas que construímos na mente , quer por vezes desgastam a alma , noutras desafiam e fazem crescer.

Luz disse...

Há tanta coisa que me inquieta e, interpela e, esta inquietude que aqui senti deixou-me ainda mais inquieta...
Inquietudes que nos assolam e, cercam, mas que nos fazem também ser maiores.

Abraço de Luz