quinta-feira, 25 de março de 2010

Naquela tarde


Naquela tarde
o olhar dela parou
voando ao encontro dum abraço
vivido no passado
mas que urgia sentir no presente.

Naquela tarde
o passado,
num súbito instante,
ficou patente
como se a distância estivesse tão perto
e a ausência tão presente.

Naquela tarde
as asas roubaram-lhe a realidade,
um tumulto acendeu-se-lhe no peito
e não teve mais forma
de evitar o regresso.

Naquela tarde
o seu presente foi passado
e seu caminho
uma colina que subiu
para ficar mais perto da eternidade.

Seguiram-na as aves
para assegurar o retorno ao presente,
longe da memória,
abraçada na saudade,
mas onde mora a vida.


1 comentário:

Angel in the dark disse...

A vida contém todos esses sentimentos!